quinta-feira, julho 31, 2008

No país das boas notícias

Fica-se uns tempos desligado da actualidade rectangular e quando se religa o país parece outro. Ora um incidente de 6 feridos num bairro pobre e não-"branco" da periferia de Lisboa que comove todo o Portugal - mereceria fria indiferença em qualquer outro país europeu. Ora uma notícia da TVI, das primeiras no seu noticiário, sobre um professor da Universidade de Coimbra que chegou atrasado a um exame - que saudável obsessão com a pontualidade haverá agora neste estado! E ainda uma notícia de um grupo de jovens, que não um gang, perdido nas margens do rio Amazonas, aliás Teixeira, encontrado na manhã seguinte por um helicóptero a 500 quilómetros do seu acampamento, aliás 500 metros, e ainda assim transportados de helicóptero para a sua base - quão sofisticados meios de socorro! E não se olha a custos para salvar vidas, ou transportar por 500 metros betinhos de cidade que ficam zonzos quando só vêem verde à volta. O Público esclarece que se tratava de um "grupo ligado à Igreja Católica" (sic).

Para completar o ramalhete chegam-me zumbidos de um novo melodrama no Palácio Rosa, o presidente que nos preside ao ritmo, sabor e profundidade de uma novela mexicana, irá falar esta noite ao país - garantias de total obediência de todos os noticiários na sua abertura, à la Corée du Nord. O drama está em não se saber de que irá falar o perjidente, mas a avaliar pela boa onda noticiosa não me espantaria que fosse para apresentar a demissão e pedir desculpas pelos comentários e alusões racistas e fascistas do mês passado. Nunca é demasiado tarde para ganhar vergonha na cara.

Pode-se não ficar a saber muito do que se passa pelo mundo quando se acompanha a comunicação social tuga (ou norte-coreana, já agora), mas vale bem pela festarola e cores locais - so typical!

4 comentários:

Tárique disse...

Yo Boss vê lá se voltas de vez, isto um post por mês não rende :)

Não leste também a notícia dos bravos polícias da PSP que estavam a vigiar uns suspeitos vestidos à paisana (prática já muitas vezes recriminada e contrária ás orientações - investigação e paisanismo é suposto ser para a PJ ).

Adiante, estavam os polícias à paisana a atacar os suspeitos e estes responderam-lhes (bela polícia SP que persegue suspeitos vestida à paisana sem ser capaz de os dominar).

Os suspeitos deram-lhes luta e fugiram.

A seguir, entram em acção os GOE (que agora têm outro nome) , para vingar os colegas atacam a tiro a casa da família dos suspeitos (que passaram misteriosamente a ser 5 em vez de 2) , partem tudo dão tiros e não encontram nem armas nem nenhuma prova que os incrimine. Pelo caminho ainda dão um tiro num colega que quase o mata.


Pelo caminho perdem uma shotgun (em algumas notícias dizem que foram 3), tás a ver o que é uma shotgun, é aquela arma "não letal" com que um bófia matou o Toni há dois anos, ficando completamente ilibado. Ora a PSP, com o seu respeito habitual pela lei, não deu conta do desaparecimento da shotgun às autoridades (que neste caso era a PJ), preferindo informar directamente os media.


Agora vamos ver o que saiu nos títulos dos jornais:


"Polícias espancados e roubados por ladrões"

"GOE lançam perseguição aos bandidos que assaltaram polícias"

"GOE atingido a tiro por um suspeito"

"Rui Pereira elogia actuação da polícia"

e os comentários dos reaças nos jornais on-line foram "pena não terem motado logo os suspeitos" etc. , o mais difícil de suportar é este orgulho em ser bronco.


E pronto, assim vai a desinformação do povo português, fenómeno do entroncamento um atrás do outro.

Eduardo disse...

É desta?

boss disse...

Temo que ainda não. Isto é só para não me esquecer da password do blog.. ;) No Outono volto em força ;)

mva disse...

Welcome back, godammit!!!