quarta-feira, dezembro 09, 2009

Mentiras Pegadas

Ando há 2 dias a tentar arranjar tempo e pachorra para enumerar todas as mentiras contidas neste texto de opinião publicado no Público, da Exma Sra Isilda Pegado. A oposição da sra Pegado ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e o seu argumentário são os de sempre, demasiado aborrecidos e previsíveis para valerem o trabalho de desmontar.

Confesso que o que mais me chateou é como é possível um texto onde cada número citado, cada facto aludido, está errado pode ser publicado no chamado "jornal de referência" do país? É óbvio que a opinião de um colunista não vincula o jornal à mesma. Mas não estou certo sobre a falta de rigor do mesmo. Quando um colunista usa mentiras chapadas para defender os seus argumentos, e tais mentiras passam no crivo do jornal, é o próprio jornal que fica em causa, transformado que está afinal em veículo transmissor de mentiras.
«Recomendação do provedor. Os textos de opinião do PÚBLICO deveriam passar, antes de publicados, por um crivo de verificação factual idêntico ao que é aplicado às matérias de natureza jornalística.»
A f. já se adiantou e postou a desmontagem da coisa, a ler aqui. Mas porque os desmentidos nunca são demais, aqui fica uma enumeração das mentiras factuais da sra Pegado:

1) «O referendo a esta matéria já foi feito em mais de 42 Estados.» «Onde, por decreto, o povo não pode dizer como se quer organizar, apesar de na Europa e na América já se terem feito mais de 42 referendos. Todos os outros 42 Estados estão mal?» Na verdade na Europa nunca se realizou nenhum referendo sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nos EUA foram 31 os estados a fazê-lo, em alguns casos apenas sobre o casamento, noutros casos o referendo era sobre qualquer tipo de reconhecimento legal de casais homossexuais, e não exclusivamente sobre casamento. Em todos a negação de direitos aos casais homossexuais venceu.

Já na Europa apenas a Suíça realizou referendos comparáveis, sobre parcerias civis, um no cantão de Zurique e outro a nível nacional, em ambos os direitos homossexuais saíram vencedores. Ou seja, é não só mentiroso o número citado por Pegado, como é completamente mentirosa a tentativa de colagem dos resultados americanos à Europa.

2) «O caso da Califórnia é digno de ser contado. No mesmo dia da eleição do Presidente Obama, foi a referendo o "casamento entre pessoas do mesmo sexo" o qual já estava legalizado pela via judicial, há cerca de 4 anos.» De facto é um caso digno de ser contado, e não inventado como fez Pegado. É que em vez de 4 anos, foram pouco menos de 5 meses.

6) «Obama (que diz pretender legalizar o casamento homossexual em todos os Estados)» Diz a quem? Deve ter sido uma confidência exclusiva a Pegado. Porque ao resto do mundo Obama sempre disse durante a campanha precidencial que era contra os casamentos homossexuais, apesar de respeitar as decisões que cada estado tome em relação ao tema.

7) E há mais, muito mais naquele textinho mentiroso, como a conclusão de que Portugal está numa situação ímpar ao não fazer o referendo, o tal que nunca foi feito para o casamento heterossexual, e que a nível mundial foi feito apenas em alguns estados de um único país.

E é isto a opinião publicada na imprensa de referência do país? É isto que distingue o Público do resto? Isilda Pegado não tem vergonha, já sabemos. Mas era suposto o Público ter alguma, ou JMF matou-a de vez? Bom, não custa nada escrever ao provedor.

6 comentários:

Elenáro disse...

Em relação ao seu 1º ponto, nem todos os referendos o não saiu vencedor.

No estado de Washington, o Referendum 71 confirmou as Domestic Partnerships aprovadas pelo senado do mesmo estado. 53% a favor contra 47% contra.

No Maine, houve de facto um referendo sobre o casamento mas não sobre as Domestic Partnerships. O casamento entre pessoas do mesmo sexo perdeu, de facto, mas a lei das Domestic Partnerships manteve-se.

Estes dados podem ser encontrados na Wikipédia.

Penso que houve mais casos como este último, mas não sei precisar.

boss disse...

Sim, mas esse de DC não conta como um referendo sobre o casamento. Sobre o casamento parecem ter sido apenas esses 31, alguns dos quais baniam não só o casamento, como tudo o resto. De qualquer modo o ponto é, os EUA são o único país do mundo a ter realizado referendos sobre o casamento. E além da Suíça, não me parece que eles venham a ser realizados em mais lado nenhum... portanto, Portugal está muito longe do "orgulhosamente sós" da sra Pegado.

portugalgay disse...

Boas,

Há um estado que parece ser esquecido nestas estatísticas...

http://portugalgay.pt/news/211109A/EUA:_Referendo_contra_igualdade_no_casamento..._acaba_com_todos_os_casamentos%3F

No Arizona uma proposta similar à do Texas foi recusada por 52% dos votantes em 2006.

A pergunta era:

"Marriage in this state shall consist only of the union of one man and one woman. This state or a political subdivision of this state may not create or recognize any legal status identical or similar to marriage"

Elenáro disse...

Não é Washington DC mas o estado de Washington mesmo. Costa Oeste. E foi mesmo sobre casamento.

Zunkruft disse...

Estava há pouco a D. Isilda no Expresso da Meia Noite... A pobre senhora insiste em propagandear os mesmos dados que não são verdadeiros, mas nos quais ela acredita que são.
É um daqueles casos em que já não sei se é ignorância ou se é... outra coisa.

boss disse...

Obrigado a ambos pelos dados. Pelos vistos o Público não está muito importado por ser veículo de tamanhas mentiras e omissões..