segunda-feira, março 17, 2008

Do Tibete

Chegam-me comentários indignados por não fazer referência à situação no Tibete. E até insinuações de que tal acontece por ser um "comuna"... "Comuna" não serei, mas se fosse um "comuna" a sério isso só aumentaria o meu asco pelo regime chinês. Anyway, a situação do Tibete não vem de agora, tem 50 anos já, e nem era muito melhor antes (feudalismo ou maoismo?, hmmm)... Guess what, também guardo algum asco para o Dalai Lama, eu sou assim, tenho para dar e vender.

Mas resumindo, se se fala agora do Tibete é por uma razão simples, os jogos olímpicos estão à porta e são uma oportunidade de ouro para mediatizar o drama tibetano. Portanto, não é a esta humilde porta que têm que bater, mas, por exemplo, ao Comité Olímpico Português, que não anunciou qualquer intenção de boicotar os jogos... No seu site a votação on-line é: "Quantas medalhas vai Portugal conquistar nos Jogos Olímpicos de Pequim?".

PS: Os blogs estão completamente sobrevalorizados, fónix. Não é por aqui darlings, não é mesmo por aqui. Deixem-se disto, isto é só pra brincar um bocadinho sem ter que descer ao recreio.

PPS: Quem quiser descer, i.e., levantar-se, saiba que há uma manif vigília no dia 19 em Lisbonne, que o Porto está geminado com Xangai e Macau, sabem como é... Se algum/a leitor/a for que me diga depois se havia mais comunas desarranjados ou liberais engravatados, que estou curioso sobre quem são os inimigos do maoismo.

5 comentários:

Héliocoptero disse...

O Porto teve uma vigília pelo Tibete a semana passada.

boss disse...

Obrigado Hélio, desconhecia ;)

e na realidade Lisboa tb está geminada com Macau, não seria então por isso..

Estafermococus disse...

teve sim senhor, no Porto já houve vigília.

Paulo disse...

caro boss

independentemente da bondade ou falta dela que se possa atribuir à situação política tibetana anterior à invasão chinesa, há um facto incontrovertível no meio disto tudo: se há alguém que deve decidir em que condições políticas quer viver é a população tibetana e ninguém mais... para isso é preciso que sejam garantidas liberdades que como se sabe o regime chinês não concede aos seus cidadãos... o paralelismo com timor é por demais evidente e não me vai dizer que pelo facto de timor ter sido durante séculos parte do chamado "império colonial" português, era menos urgente dar à população o direito de decidir o seu futuro como bem entendesse

boss disse...

Caro Paulo, longe de mim querer manifestar a mínima oposição à independência tibetana. Que fique claro, 100% a favor. Só espero é que tal seja feito sem implicar a legitimação de forças anti-democráticas e anti-direitos humanos, como de certa forma também aconteceu em Timor Leste, que ainda recentemente andou em clima de guerra civil iminente por causa das aulas de religião moral!!!!!