quarta-feira, fevereiro 13, 2008

Al Gore e o casamento homossexual como solução contra a promiscuidade


Enfim, longe de ser a defesa mais brilhante, mas importante por vir de onde vem, o centrão político americano, e com uma mensagem capaz de ecoar em mentes mais conservadoras. Bem haja sr. Gore, nem a Hillary (e muito menos o Barack) ousam ir tão longe... Soube deste vídeo precisamente a partir da mais recente entrevista da sra. Clinton sobre questões LGBT, a própria o desconhecia, ou pelo menos assim garantiu.

PS: Já agora, também Natalie Portman e Scarlett Johansson disseram recentemente à revista W não entenderem a exclusão de gays e lésbicas em relação ao casamento.

5 comentários:

Héliocoptero disse...

Vai na volta é precisamente por Al Gore não ser candidato presidencial (ao contrário de Hillary e Obama) que ele está à vontade para dizer o que diz. Um democrata que queira ser Presidente dos Estados Unidos tem que jogar ao centro de modo a não se ficar pelos chamados "Estados Azuis".

Diogo disse...

Leio o blog à anos, ainda sou do tempo em que o blog tinha várias opiniões de várias pessoas diferentes. Sou aquilo que se pode chamar de um leitor fiel, apesar de nunca antes ter comentado.

E só senti vontade de comentar por uma razão: porquê esta mania crescente de criticar o pessoal sempre que alguém fala em acabar com a promiscuidade gay?

Lembro-me de à pouco tempo ver aqui neste blog um post a promover uma orgia gay, e de haver uns comentários que revelevam alguma tristeza pelo facto, e que foram imediatamente criticados pelo Boss (posso estar engando, se calhar foi outra pessoa que criticou, dou o beneficio da duvida, sinceramente já não me lembro).

Tudo bem que cada um faça o que quer da sua vida, mas há algum problema em lutar por uma sociedade em que um relacionamento gay, fiel, monogâmico e estável seja a norma e não a excepção?

Talvez eu esteja a interpretar mal a sua opinião sobre o assunto, mas tenho notado um certo desdém pelo pessoal que não acha muita piada a andar por aí a dormir com toda a gente...

boss disse...

Hmm eu não diria "jogar ao centro" Héliocoptero, eles são mesmo do centro, Al Gore incluído, o casamento não tem porquê ser exclusivo da esquerda ;)

Diogo, rigorosamente nenhum "desdém pelo pessoal que não acha muita piada a andar por aí a dormir com toda a gente...", mesmo! Mas também nenhum pelo que faz o contrário, pelo que não tenho muita paciência para o discurso "anti-promiscuidade", cada um que faça o que entender, lá está.

Mas neste caso não foi sequer isso o que me aborreceu, foi mesmo a lógica palerma e preconceituosa de que 1) os gays são promíscuos e 2)o casamento fará com que o deixem de ser. Ora nem a monogamia/fidelidade precisa do casamento para nada, nem este é um garante das primeiras, e muito menos um exclusivo heterossexual, e vice-versa.

Resumindo, não entendo sequer ao que vem a estória da "promiscuidade" quando o assunto é casamento. Mas essa é só a minha opinião, e tenho noção que para algumas pessoas este discurso soa muito mais convincente que o meu... mas lá está, cada um com seus pecados e seus discursos ;)

Não hesites em comentar mais vezes, és sempre bem vindo ;)

antidote disse...

mas, sem sombra de ironia, eu pergunto.. qual é o problema com a promiscuidade? porque é que a promiscuidade, a liberdade sexual, entre adultos consentaneos, é tao ameacadora e subversiva?

será que ainda nao perceberam que há pessoas que sao promiscuas (seja la o que isso for na definicao de cada um/a) porque sim e na porque sao "obrigadas"?

saudacoes promiscuas,
antidote

antidote disse...

mas, sem sombra de ironia, eu pergunto.. qual é o problema com a promiscuidade? porque é que a promiscuidade, a liberdade sexual, entre adultos consentaneos, é tao ameacadora e subversiva?

será que ainda nao perceberam que há pessoas que sao promiscuas (seja la o que isso for na definicao de cada um/a) porque sim e na porque sao "obrigadas"?

saudacoes promiscuas,
antidote