quarta-feira, novembro 21, 2007

Os heteros não bebem cerveja, bebem cevada!?

Curiosa a nova campanha publicitária da cerveja Tagus (ver em www.orgulhohetero.com). Tratando-se de uma cerveja foleira e marginal, faz-se assim de uma assentada ao mercado maioritário, dando-se ao luxo de repelir logo à partida os restantes consumidores - no que à orientação sexual diz respeito. Ou talvez não.

A campanha goza e mimetiza o Orgulho Gay e as reivindicações associadas, mas em vez de lutar por direitos civis, visa vender cevada acervejada. É um pau de dois bicos. Se o menosprezo pelos que lutam por uma sociedade igualitária no que concerne às sexuais orientações é evidente e intencional. Também não deixa de, indirectamente, aligeirar e popularizar os termos. Algo benéfico já que a expressão "orgulho gay" sempre soou muito pesada e controversa aos ouvidos do "cidadão comum", incluindo o "cidadão gay comum". E o termo "heterossexual" ainda cria confusão em muitos ouvidos, nomeadamente de heteros.

Espero curioso pelos resultados nas vendas. Não duvido que muitos gays estarão na linha da frente da bebericagem do heterossexual produto. Será uma forma de descarregarem muita homofobia interiorizada acumulada. Por outro lado, também os homofóbicos conscientes aderirão entusiasmados. A minha dúvida está mesmo em relação à atitude do "cidadão heterossexual comum". Desconfio que uma cervejita alternativa que se promove com "orgulhos heteros" lhes soe tremendamente gay.

Mas sobretudo espero que o movimento gay nacional saiba dar a devida importância às coisas, e não sirva de combustível para impulsionar as vendas de tão medíocre produto. É precisamente com isso que estarão a contar os marketeiros da Tagus, que por certo tomam como real a caricatura que fazem do movimento. Não lhes dêem esse gostinho, please.

15 comentários:

/me disse...

Vale tudo...

/me disse...

Argh, ainda estou a digerir esta. Está-me mesmo a enervar... Desculpa a linguagem, mas que cabrões. Vale tudo para vender. Irra...

Pedro Farinha disse...

eu que sou hetero e nada tenho contra os gays, acho que a campanha até é positiva na luta contra a homofobia. Afinal cada um deve ter orgulho daquilo que é, e é por os heteros a pensarem como seria se tivéssemos dificuldade em afirmar a orientação sexual.

Marcos disse...

Danto uma perspectiva brasileira: não sei como são as coisas em Portugal, mas aqui a publicidade de cerveja sempre foi dirigida ao homem hetero. Chegou a ser necessário criar uma lei (muitas vezes ignorada) que proíbe associar o consumo de álcool ao sucesso com mulheres. Então, acho que a Tagus é apenas mais explícita.

/me disse...

Pedro, e se fizessem uma campanha sobre o orgulho branco? Se tens orgulho em ser branco, bebe a nossa cerveja...

Tu podes dar uma boa interpretação à campanha, mas uma pessoa homofóbica vai-se sentir confortada na sua posição... E mesmo os homossexuais que ainda lutam por se aceitar (e essa luta interior é complicada e traz consequências graves, principalmente ao nível de depressões e até suicídios na juventude) vão ser ainda mais confrontados com uma sociedade para quem o "homem verdadeiro" (tal como a "cerveja verdadeira" a que o anúncio se refere) é hetero...

Pedro Farinha disse...

Pois, podes ter razão. Mas a verdade é que o orgulho hetero aparece como contraposição ao orgulho gay e nunca ouvi falar do orgulho negro.

Se calhar uma publicidade em que se apelasse ao homem branco utilizando uma expressão habitualmente conotada com os negros já não tinha o mesmo efeito racista não é? Até podia mostrar o ridiculo do racismo.

Mas acredito que não conheço o suficiente toda a problemática social da homossexualdiade e posso estar a fazer um erro de apereciação.

Paulo disse...

Parabéns pela vossa heterofobia. O meu irmão é gay e não compactua com a vossa militância fundamentalista. E se a campanha fosse "orgulho metro", talvez ninguém se sentisse ameaçado com os seus complexos de afirmação. Depente uma porcaria de um anúncio tornou-se numa caça às bruxas, tipica de regimes totalitaristas contra os quais todos nós (amantes da liberdade de expressão e da diferença) lutámos!

Quanto à argumentação básica do "e se fosse orgulho branco?", estamos a fazer paralelismos completamente falaciosos mas que dão jeito à argumnetação. Que eu saiba numa a comunidade heterosexual tentou exterminar a comunidade homosexual, ao contrário dos nazis.

Anónimo disse...

Para o Pedro Farinha:

Black Pride
http://en.wikipedia.org/wiki/Black_pride

boss disse...

Paulo, mas qual heterofobia, que exagero, um bocadinho menos de histeria, pode ser ou está difícil?

Pedro Farinha, eu entendo essa perspectiva. Mas não sou tão optimista em relação às intenções da campanha. Como digo no post, é uma campanha que mimetiza uma real luta por direitos civis não para fazer algo equivalente, mas.. para vender cerveja. Os próprios heteros se podem sentir ofendidos, falam em "causa hetero" e o objectivo é o engate? É tudo assim um bocadinho pobre...

Mas /me, acho que também não é para ficarmos assim tão indignados. Eu consigo ver vários efeitos indirectos positivos. Porque de resto é como diz o Marcos, em Portugal como no Brasil, a cerveja sempre foi vendida com campanhas dirigidas exclusivamente a homens heterossexuais, prometendo-lhes sucesso com as mulheres por beberem a cerveja (algo que a realidade não se cansa de desmentir, mas..), e nesse sentido, esta sempre é mais clara e frontal, é um "pois, é mesmo isso".

A comparação com o "orgulho branco" parece-me excessiva. Precisamente porque o "orgulho branco" corresponde efectivamente a um conceito usado por movimentos racistas. E embora existam já casos de uso da expressão "orgulho hetero" em contextos homofóbicos, não é comparável. Aliás, esta publicidade poderá ter essa virtude, a de amenizar essas palavras, e esvaziar o "orgulho hetero" de uma homofobia militante.. É esperar para ver.

Claro que a Tagus tem uma óptima oportunidade para mostrar que está nisto de boa fé patrocinando também o Orgulho Gay ;)

boss disse...

Ainda para o Paulo (que aliás me parece o perfeito exemplo para o meu argumento de que não vale a pena guerrear com isto pois tal só dará azo a mal entendidos e lógicas simplistas como a dele, além de um boom na visibilidade da campanha), quando diz: «Que eu saiba numa a comunidade heterosexual tentou exterminar a comunidade homosexual, ao contrário dos nazis.»

Tem noção do que está a dizer? A comunidade hetero nunca teve necessidade de se chamar hetero porque nunca teve a necessidade de ser uma comunidade. Hetero sempre foi a hegemonia. Só faz sentido falar em hetero a partir do momento em que se começa a falar em gay. E isso só começou a acontecer muito recentemente. Quanto a tentativas de extermínio dos gays, meu caro, vá aprender alguma história. Inquisição, holocausto nazi ou os 9 países que AINDA tem na sua lei a pena de morte para quem pratique actos homossexuais, do Irão à Nigéria.

Cesare disse...

Parece que o escoitaron...
http://panterasrosa.blogspot.com/

/me disse...

Orgulho gay não é um orgulho na orientação sexual, mas na forma de se saber viver essa orientação sexual num mundo por vezes hostil. É o amor-próprio suficiente para aguentar essa mesma hostilidade. Eu tenho orgulho na forma como tenho sabido viver a minha orientação sexual. Tal como tenho orgulho na forma como tendo sido educado com certos valores, mantive os que achava que era de manter e adoptei outros valores que achei importantes. Tal como tenho orgulho no meu percurso académico. Na forma como fui capaz de ultrapassar uma depressão que tive. Etc. Etc. Quando se ultrapassam dificuldades com dignidade, é normal que se sinta orgulho. Nesse sentido, compreende-se o “orgulho gay”.

Quanto ao orgulho hetero, quando se fala nisso dá a entender (ou alguns interpretarão assim) que há dificuldade em ser-se hetero. Que os heteros estão num ambiente hostil, e que precisam de coragem para afirmar a sua orientação sexual. Vira a lógica, nega a realidade da homofobia e afirma uma heterofobia que está muito muito muito longe de se verificar.

/me disse...

Eu tinha escrito outro comentário, mas desapareceu. :S
Se calhar nem o cheguei a colocar, enganei-me algures. Bem, paciência. :P
Era a explicar o porquê de me enervar tanto com este assunto... Sinto que estão em causa valores que me são muito caros: verdade, justiça, respeito e solidariedade.

portugalgay disse...

www.orgulhohetero.org

www.orgulhohetero.net

Carioca de Limão disse...

Fica aqui um anúncio que a Levi's fez para o publico gay na América. Descriminador???? E a tendência é para as marcas cada vez mais começarem a venderem para o público gay pois têm mais poder de compra, principalmente as marcas de luxo. Descriminador????

http://www.gayadnetwork.com/
http://www.us.levi.com/commercials/landing.jsp?version=2