terça-feira, outubro 30, 2007

My name is James, just James

A Fernanda Câncio tem toda a razão. Mas há quem vá ainda mais longe. E afinal para que servem os sobrenomes? Já anulando-os é da maneira que se dá uso ao segundo nome próprio que quase toda a gente tem por estas paragens, mas ninguém conhece ou chama. Simplifiquemos pois então.

1 comentário:

joao disse...

ainda me lembro do drama que foi passarem-me um cheque em frança. Depois de explicar longamente que tinha 5 nomes e isso não era nada de extraordinário em Portugal, perdi ainda mais tempo a explicar que o meu "nome de família" não aparecia primeiro no meu bilhete de identidade. Pelo contrário, era o último.
- "então o que é que eu escrevo no cheque?"
-"escreva como no passaporte: fulano-sicrano"
-"então fulano é o seu nome de família?"
-"nao, sicrano é o meu nome de família..."
-"então tenho que escrever sicrano-fulano"
-OK
-"...mas não é isso que está no passaporte..."

AHHHHHHHHHHGGGGGG!!!!!!!!!