sexta-feira, novembro 03, 2006

Nobel do Arco-Íris

Já são conhecidos os laureados deste ano pela Associação ILGA Portugal, pelo seu contributo no combate à ignorância e preconceito:

- ‘Aqui não há quem viva’, Teresa Guilherme Produções

- ‘Laramie’, Teatro Municipal Maria Matos (Diogo Infante, Direcção Artística)

- Luís Grave Rodrigues, Helena Paixão e Teresa Pires pela primeira tentativa de casamento entre pessoas do mesmo sexo em Portugal

- São José Almeida, jornalista do Público

- Unidade de Missão para a Reforma Penal

Parabéns a tod@s!

2 comentários:

Cleo disse...

Por favor, alguém me explica como é que se acham relevantes novelitas e seriezinhas de televisão para atribuir este prémio. E o Diogo Infante... por DEUS!

Só um conselho que pode nem ser bem-vindo: se se misturam assim com a populaça e o gosto dos canais de televisão, que são uma nausea...
...não estão a menosprezar-se demasiadamente? e a exibir um auto-ódio mas de gosto?

Para além de serem olimpicamente desprezados pelas novelas e seriados em geral... E por um teatro clássico de gosto discutível, que preferem um tema americano para não arriscarem numa realidade mais próxima.

Os outros prémios parecem-me muito bem. Agora Teresa Guilherme Produções e Diogos Infantes, por favor... poupem os gays a essa falta de gosto. Só falta darem o prémio ao La Féria pela Música no Coração!

boss disse...

Cleo, isto não são prémios de mérito artístico.. os objectivos são outros.

Eu por exemplo acho justíssimo o prémio para a São José Almeida, mas tenho noção de que no país em que vivo tem muito mais impacto uma cena gay-friendly numa novela de sucesso, que qualquer um dos seus excelentes artigos.

A homofobia está presente em todas as classes sociais e manifestações culturais do país (não é só nas novelas, vejam-se as mais recentes bojardas da seu dona Agustina), logo parece-me correcto que se valorizem todas as acções que visem combatê-la em qualquer um desses níveis. A ideia aqui não é ser "chic", é combater a qualquer forma homofobia.

Falando especificamente do "Aqui não há quem viva" acho que perdeu uma excelente oportunidade para estar calad@. É só a melhor sitcom portuguesa dos últimos anos. Sim, é light, sim é popular, e sim é uma óptima maneira de passar os serões de Domingo. Recomendadíssima cá pelo je ;)