sábado, novembro 18, 2006

Em que vota quem vota Não?

«Assim, o que vamos decidir nas mesas de voto é o modelo de sociedade que queremos seja a nossa, isto é, o que vamos referendar é apenas se queremos a talibanização de Portugal!

Ninguém pense que
se os pró-prisão vencerem o referendo a Igreja se contenta com tão pouco! O referendo é um teste que se ultrapassado será apenas o primeiro passo para a regressão civilizacional ao totalitarismo católico medieval por que o Vaticano tanto almeja!»
É que não duvidem disto. Basta ver aliás a mais recente campanha de envio de e-mails promovida pela associação ultra-católica e ultra-conservadora HazteOir.org de Espanha: parabéns aos deputados da Nicarágua que legislaram a criminalização de todos os tipos de aborto, incluindo quando está em causa a vida da mulher e mesmo se o feto está morto. Note-se que os movimentos pró-vida portugueses têm estreitas ligações a este grupo (participaram até da célebre manif anti-casamento entre pessoas do mesmo sexo no ano passado em Madrid), e se oficialmente não assumem que é isto que pretendem, não é difícil perceber que é exactamente uma lei à Nicarágua que desejam para nosso o país. Que ninguém se iluda com sondagens (iguais às de 98 aliás), uma segunda vitória do Não abrirá caminho para a talibanização de Portugal.

1 comentário:

L disse...

"[...] incluindo quando está em causa a vida da mulher e mesmo se o feto está morto."

Jesus Cristo. Tenho medo deste mundo, parem-no e deixem-me sair, sff.