terça-feira, fevereiro 06, 2007

Coisas que o Não possibilita

"Há mulheres que abortam por negócio, para venderem as matérias fetais!" Agora alguém me explique como é que este "negócio" que "há" agora, hoje, em plena era-Não, pode ser usado como argumento contra a despenalização da IVG até às 10 semanas em estabelecimento de saúde autorizado? Não quero pôr em causa a afirmação do dr. Castro Caldas, de modo algum, apenas lhe pergunto, essas mulheres, certamente que muitas (já deu para perceber ao longo desta campanha que para as mulheres portuguesas o verdadeiro orgasmo está no acto de abortar), alguma vez iriam abortar às 10 semanas (quando as "matérias fetais" são meras 10g) e num estabelecimento autorizado, onde qualquer venda de órgãos ou tecidos é estritamente proibida? Diga à PJ o que sabe dr. Caldas, diga à PJ! Não seja cúmplice pelo silêncio!

PS: Vídeo aqui.

3 comentários:

Cenas Obscenas disse...

Cara rena, caro veado:

Têm o vídeo disponível aqui:
http://sim-referendo.blogspot.com/2007/02/as-mulheres-que-abortam-por-negcio.html

boss disse...

obrigado ;)

Génio Louro disse...

Não resiste a puxar uma citação para o meu blog... http://geniolouro.blogspot.com/2007/02/pergunto-ao-aborto.html

Parabéns pelo post! Vou continuar a acompanhar o blog ;)