quarta-feira, outubro 18, 2006

Quase metade dos espanhóis deseja a anexação de Portugal

«Quase metade dos espanhóis, 45,7 por cento, quer a união entre Portugal e Espanha, com a maioria a defender que o novo país deve chamar-se Espanha, ter Madrid como capital e manter o regime monárquico, de acordo com uma sondagem.»
Quase se podia dizer que a sondagem do El Sol abriu uma caixa de pandora. Mas será antes o caso de confirmar suspeitas de sempre. Nem era preciso uma sondagem do lado de lá, o empolgamento com que os supostos 28% de portugueses iberistas foi recebida pela comunicação social espanhola, que só se lembra de Portugal quando há algum desastre ou alguma eleição, eliminava qualquer dúvida. Aquele rectângulozinho no mapa incomoda qualquer uno...

Mas nisto de tiques imperialistas estamos todos bem servidos. É que a sondagem do Sol não se resumia a perguntar por Espanha, apesar de só disso se ter falado. Razão pela qual me passou ao lado o resto da dita, bem mais interessante diga-se, que encontrei por mero acaso:
«2.) Portugal e as ex-colónias:

3.1.) Deveriam ter apenas as tradicionais relações entre estados independentes?
Sim 64,6% - Não 26,2%

3.2.) Deveriam constituir uma comunidade ou federação de estados?
Sim 38,2% - Não 49,7%

3.3.) Deveriam permanecer sob o domínio de Portugal?
Sim 21,1% - Não 70,5%»
Fiquei sem perceber bem se a indiferença face a estes resultados se deveu a serem demasiado sensíveis ou por outra, previsíveis. Mas parecem bem mais interessantes e dignos de aprofundamento que os outros, por não se deverem sobretudo a circunstâncias económicas. Os resultados da pergunta 3.2 são ainda mais intrigantes se confrontados com estes:
« 3.1.) Portugal perdeu ou ganhou com a entrada na união europeia?

Ganhou 51,7% - Perdeu 24,6% - Nem ganhou, nem perdeu 20,9%»
Ou seja, quase metade não vê vantagens na adesão à UE (na maior parte dos domínios a maioria diz que o país está pior que há 20 anos, excepto no que toca ao prestígio internacional). E pelos vistos 40% estaria disposto a formar uma união semelhante, mas com os PALOP. Mas tal como o entusiasmo espanhol com o iberismo parece ser bem maior que o português, o inverso deverá acontecer com os PALOP face a uma união com Portugal (salvo alguma excepção insular). Parece-me que no logo comemorativo do 50º aniversário da União Europeia Portugal só se irá rever na parte que diz "1957".

4 comentários:

michael disse...

É interessante como este tema nunca deixa de ser moda por estas bandas. Parece-me cada vez mais que a única coisa que mexe mesmo com os portugueses, é quando se fala do "hermano". No entanto, quem conhece os espanhóis e os seus meios de comunicação, sabe que sabem pouco ou nada sobre Portugal, a não ser que se trata dum "rectangulozinho" lá ao lado. Vamos ser honestos; eles não se interessam por Portugal ou por uma união com Portugal! Eles devem estar contentes onde estão, com o seu Rei com o seu PM e governo e com a sua política.
Se alguém acredita mesmo que metade (!!) de (todos os?) espanhóis se quer juntar a Portugal, ou "deseja anexação" (LOL), está bem enganado.

No entanto, também já vi portugueses que perderam a compostura quando se falava de Espanha. Ou começam a cuspir chamas de ódio ou sobressaltam-se em elogios irrealistas.
O único problema dos portugueses é que esta relação amor-ódio que tem com Espanha é retribuída por Espanha com absoluta indiferença. Acreditem: Espanha nem que lhe pagassem aceitaria Portugal numa União Ibérica, eles não são estúpidos! Os espanóis têm sentimentos muito mais fortes em relação à França ou à Itália, mas Portugal...? Let's not kid ourselves, ladies.

boss disse...

Michael não entendo qual é a sua dúvida. As ideias expansionistas de Espanha face a Portugal não são de agora, são de sempre. Sim, Espanha não sabe nada sobre o país (digo-o no post) e sim, Espanha quer Madrid capital, rei soberano and so on (está no post e na sondagem). É por isso que falo em anexação e não em união, percebe a diferença?

michael disse...

Olá Boss,
não tenho dúvida nenhuma em relação ao que escreveu no seu post. O meu comentário foi apenas para perguntar quais os meios estatísticos e a interpretação da sondagem publicada pelo Público.

Em segundo lugar quis deixar a minha opinião que reitero aqui: O "rectangulozinho" não está a incomodar ninguém em Espanha, porque eles têm outras coisas em que pensar. A história das "ideias expansionistas" está a ser reaquecida apenas nos media aqui em Portugal. Volto a dizer que acho que a Espanha não se interessa nada, mas nada mesmo em Portugal. Acho que é esta a realidade parece que está a chatear os portugueses muito mais do que qualquer outra. Quando se lê os comentários ridículos em baixo do próprio artigo no Portugaldiário online, que falam em "sangue derramado" e com os "Viva Portugal" e outras romantizações da história, acho que se vê claramente o desequilíbrio com que esta ideia maluca do iberismo está a ser tratada nos dois paises.

boss disse...

Michael, eu não digo que isso seja uma preocupação premente dos espanhóis (tal como a preocupação de uma invasão não é uma preocupação premente dos portugueses, descontando meia dúzia de bloggers e cronistas ociosos LOL), mas não me espanta nada que uma vez questionados sobre o assunto, a resposta seja "ah pois, porque não"..

ainda há dias o DN publicou uma crónica de um espanhol a defender isso mesmo..