quinta-feira, março 01, 2007

Uma pascácia chamada Merkel

A sério que gostava de escrever títulos mais elegantes do que estes, mas que fazer perante esta gente? Angela Merkel, chanceler alemã, ainda não percebeu que a constituição europeia está morta. Ou se calhar percebeu, mas como acredita na ressurreição, mantêm a esperança de ver nela pregadas "as raízes cristãs da Europa". Isto é palhaçada velha, querem-nos convencer que a popularidade do cristianismo nestas paragens nos distingue do resto do mundo (como a ateia América ou o muçulmano Brasil). Que é importante não esquecer o passado, que a história deve estar pregada na constituição, mas não ousam referir Hitler (não nasceu a UE dos escombros causados pelo nazismo?)...

A parte nova é esta: «Confessou que, a título pessoal, gostaria que houvesse uma mais clara referência a Deus no tratado. Argumentou que "uma maior consciência das suas raízes" não apenas cristãs, mas também judaicas, tornaria "mais fácil o diálogo com as outras religiões".» Bitte? Parece-me que os comentários à notícia no Público são suficientemente esclarecedores do efeito que essa referência traria. Está para lá de "tema fracturante", é incendiário mesmo. Merkel é uma pascácia beata aspirante a espalha-brasas...

A bem do continente e da União, já assinaste a Declaração de Bruxelas?

7 comentários:

Grace disse...

Pacóvia, diria eu!

Eduardo disse...

então e o wicca?

João Manuel de Oliveira disse...

pascácia?

Paulo Henrique disse...

muçulmano brasil?
ironia?

boss disse...

O wicca, o pica, o júpiter, o saturno, os pastorinhos, a linda reis... dava uma lista telefónica gigante, mas não é exactamente isso que se espera de uma constituição sra. Merkel!!!

João, não se diz pascácia no sul? É que acho que nenhum outro adjectivo lhe serve tão bem quanto esse, uma pascácia, pascaçona, pascacinha... lacaiazinha do Ratzi, aposto que ela nem percebeu que o Vat. não está na UE!!!

Paulo Henrique, ironia claro ;) América ateia? Só nos meus sonhos mais tórridos...

Max Spencer-Dohner disse...

grande post, boss! apenas lhe substituia o magnífico "Pardon?" por um bem mais germânico "Bitte??"...Aí, então, ficaria 5 estrelas :))

boss disse...

Não seja por isso, troca-se já!

O meu desgraçado alemão é que se tem evaporado nos últimos anos... e a Merkel não me entusiasma nada a voltar a estuda-lo...